18 dez 2017
Postado por

FÃ EM DESTAQUE: Thiago, o cover brasileiro que dançou com o Chris

Coldplay

O CMBR comprovou que o show do Coldplay em Porto Alegre foi mais que especial (leia a matéria aqui) e destacamos que um dos momentos mais marcantes da noite foi quando um fã, caracterizado como o famoso elefante de “Paradise”, subiu no palco para pular ao lado de Chris Martin. Foi durante “A Sky Full Of Stars” que, Thiago Gonçalves, de 28 anos, realizou um grande sonho: estar frente a frente com o vocalista do Coldplay. Mas não foi só isso, além de fã, Thiago é músico e cover do Chris Martin no grupo “Coldplay Cover Brasil”, formado na cidade de Blumenau/SC e que já realizou apresentações em diversos estados do Brasil.

O CMBR bateu um papo exclusivo com o cantor, nosso novo “Fã em Destaque”, para saber mais da emoção de vivenciar um momento tão único.

Confira:

1 – Quando você decidiu ser músico e como veio a ideia de uma banda cover do Coldplay?

Montei minha primeira banda aos 16 anos. Inicialmente a ideia era fazer um tributo ao grupo ‘Red Hot Chili Peppers’ e acabou sendo um grupo de pop/rock. Eu toquei em várias bandas até os 23 anos, cantando os mais variados estilos musicais, porém, em 2013, quando o Coldplay estava em alta com o DVD ‘Live 2012’ e o álbum ‘Mylo Xyloto’, as pessoas começaram a falar que eu parecia muito o Chris Martin e então, após pesquisar e constatar que isso fazia sentido, resolvi reunir alguns amigos que já tocavam e montar o projeto do ‘Coldplay Cover Brasil’. Eu já cantava, tocava piano e violão, o que acabou facilitando o processo de criação da banda.

2 – Você se parece muito com o Chris fisicamente, sobretudo quando se veste como ele. Mas falando em personalidade, no que você se considera parecido com o Chris e no que é diferente?

O que mais admiro na personalidade do Chris Martin é a felicidade e a leveza com que ele vive a vida e como ele consegue transmitir isso para o próximo. Sempre ouvimos pessoas dizerem que ele tem uma energia incrível e eu procuro me inspirar nisso e ser assim com todos. Acredito que teríamos um mundo melhor se todos agissem dessa forma. Não sei dizer no que me considero diferente dele, mas acho que ele é um cara bem calmo, ou pelo menos parece ser, eu já sou um pouco mais ‘nervoso’, digamos assim, mas estou tentando melhorar nisso (risos).

3 – Qual é a melhor parte de interpretar o vocalista e tocar no grupo “Coldplay Cover Brasil”?

A melhor parte é ser recebido e admirado com tanto carinho pelas pessoas que assistem nossos shows ou que nos acompanham nas redes sociais. Os fãs de Coldplay realmente são os melhores do mundo, como eles da banda afirmam e a gente sente um pouco disso nos shows. Nós também nos consideramos fãs deles e é gratificante o dom de poder interpretá-los e levar um pouco dessa energia deles para as pessoas.

4 – Como surgiu a ideia de ir vestido com uma fantasia de elefante no show de Porto Alegre e como foi quando você foi convidado para subir no palco?

A ideia surgiu quando vi um vídeo no Facebook de um fã que havia conseguido essa façanha em um show na Europa. Quando o Coldplay anunciou as datas de retorno ao Brasil, foi a primeira coisa que pensei: ir fantasiado de elefante.

Levamos uma placa pedindo pra que ele chamasse um elefante brasileiro para dançar e, no meio do show, o Chris viu a placa e fez um sinal de positivo para a gente, ali o coração já disparou e a ansiedade tomou conta até a hora de ‘A Sky Full Of Stars’.

Após o sinal do Chris, quando eles foram ao palco C, alguém da produção veio falar comigo e combinou certinho como eu deveria proceder ao subir ao palco e eu fiquei ali aguardando o tão esperado momento.

5 – Por fim, a pergunta mais esperada, qual foi a sensação de dançar ao lado do Chris Martin? O que você achou da reação dele quando você tirou a cabeça de elefante?

É algo indescritível. Foi um sentimento de realização e felicidade plena, eu fiquei uma semana, mais ou menos, naquele pico de adrenalina, demorou para a ficha cair e a vida voltar ao normal (risos). Eu olhava todo aquele estádio e todas aquelas pessoas e não conseguia acreditar. Poder ver o Chris e olhar nos olhos dele de perto foi surreal e, quando eu tirei a cabeça do elefante, ele parecia não acreditar no que estava vendo e ficou sorrindo o tempo inteiro.

6 – Como os fãs costumam te abordar? Alguma coisa mudou depois do seu momento em “A Sky Full Of Stars”?

Geralmente me abordam falando sobre a semelhança com ele. Depois do momento em ‘ASFOS’, meu Instagram, Facebook e a fanpage da banda ficaram uma loucura, pois acabou tendo uma grande repercussão. Fiquei muito feliz com tudo, tentei responder cada pessoa que entrava em contato, pois o carinho do público foi enorme… Muitas pessoas parabenizando e elogiando o feito e dizendo que se sentiram representadas por mim lá em cima. Saber disso tudo e receber todas essas mensagens foi o que me deixou mais feliz e realizado. Saber que não era só eu que estava lá em cima, mas sim todos aqueles que amam tanto essa banda.

7 – E, a última, você realizou o sonho de muitos fãs do Coldplay… O que você diria para aqueles que sonham em chegar pertinho do Chris e dos membros da banda?

Nunca desistam dos seus sonhos por mais impossíveis que eles possam parecer. Pode soar meio clichê dizer essa frase, mas pra mim ela se tornou um fato, e acredito que o Coldplay ainda irá nos surpreender muito quando lançarem novos trabalhos. Depois desses últimos shows da ‘AHFOD Tour’, tenho a certeza de que eles voltarão ao Brasil e farão muitas outras pessoas se emocionarem.

Assista:

Antes, durante e depois:

Vídeo gravado pelo CMBR:

 


Confira um pouco do trabalho da “Coldplay Cover Brasil”:

Compartilhe isso:

ÁreaComentários

Comente no Site

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

FollowColdplaySiga a banda em suas redes sociais: